Lucas Barros já é um nome conhecido do circuito. Com mais de cinco anos de estrada, três desfiles na Casa de Criadores e coleções lançadas em períodos estratégicos para os negócios, sua marca homônima já tem um bocado para contar. Dono de uma técnica desenvolvida com prints manuais sobre tecidos, criando padronagens únicas num luxuoso handmade, o designer elabora roupas atemporais para uma mulher moderna, que preza por artigos únicos e que conversem com o atual momento.

Processo // #lucasbarros #atelierlucasbarros #ateliersaopaulo #feitoamao #artisanal #handmade #print #paint #art

A photo posted by Lucas Barros (@lucasbarrosss) on

Arquiteto por formação, Lucas pensa em peças de silhueta aparentemente rígida, mas proposta para o corpo feminino. Os vestidos, forte das coleções, são geralmente marcados na cintura e amplos nas saias, acentuados pelo shape de traços matemáticos aprendidos na Academia. Os looks estruturados ganham diversas camadas de tintas, verniz vegetal, resinados e outros elementos bordados, além de patchwork.

A nova coleção, que será lançada nos próximos dias na loja Choix e no novo ateliê, em São Paulo, e no e-commerce Gallerist, vem com perfume cigano. Utilizando pela primeira vez das tramas do crochê e tricô manuais como base para sua estamparia, Lucas conta que a referência se desenvolve com o exercício de construção geométrica da modelagem. “Desse ciganismo busco o nômade, o natural, o encontro com a natureza e levo para a silhueta de saias soltas em pontas triangulares de lenços, além do transpasse de retângulos e triângulos visto em alguns vestidos”, explica. “As estampas partem desses territórios desconhecidos: folhagens em tons de vermelho, grafismo de rochas, linhas que desenham relevos geográficos, imagens de árvores vistas de cima, rios, água”, completa. Os bordados aparecem com placas de madeiras e num patchwork de feltro com crochê. Outra novidade é o uso de pintura automotiva para conferir um ar mais street às estampas orgânicas.

Alagoano, atualmente mora em São Paulo, ele busca inspiração nesses elementos regionais e da natureza para guiar seu processo criativo. Na web, o estilista também explora esse caminho montando um moodboard profissional que transmite um pouco da atmosfera de suas roupas. Para seguir nas redes sociais: referências de arte que dialogam com imagens do cotidiano do designer. Para acompanhar: pelo conceito slow fashion e visão do estilista em fazer uma moda conceitual aliada ao discurso artístico.

?? #annywang

A photo posted by Lucas Barros (@lucasbarrosss) on

 

Fique de olho no IT’S para saber nossas outras escolhas!

 

Comentários