O design vai muito além da beleza, forma e funcionalidade. Ok, essa é a tríade que esperamos das produções quando falamos do assunto. Mas, para alguns, o design deve ter tudo isto e ainda ser uma das engrenagens de uma novo modelo econômico. Para Hugo Sigaud, designer à frente do Pátio Design, feira criada em parceria com a Unibes Cultural, um novo endereço de São Paulo destinado à cultura e convívio, esta nova geração tem em suma criatividade suficiente para gerar novas cifras e movimentar o mercado. Isto não seria empreender? Para Hugo, sim! Falamos com ele sobre a importância de trazer o assunto para roda nesses tempos nebulosos, sobre a marca de itens que levam sua assinatura e dicas de como participar da feira. Acompanhe logo abaixo a entrevista que ele concedeu ao IT`S, quando conseguiu uns minutos extras na produção da festa de 01 ano do Pátio, que acontece neste sábado, 13. Confira!

O designer Hugo Sigaud. Foto: Divulgação

O designer Hugo Sigaud. Foto: Divulgação

Site IT’S: Você é o curador do Pátio Design, evento que acontece todo mês na Unibes Cultural e completa 01 ano nesse sábado. Como surgiu a parceria?

Hugo:  O projeto surgiu de uma boa conversa com o Bruno Assami, diretor da instituição, na qual visualizamos o potencial e a necessidade de criar uma incubadora para incentivar jovens empreendedores que utilizam o Design como método de trabalho. O Pátio Design é exatamente a tradução dessa ideia, em um evento que concentra cidadania, urbanidade, comida de rua e música de qualidade, aberto para qualquer um que queira trocar boas ideias, conhecer bom design com preços acessíveis e, é claro, curtir o sabadão (que com sorte) será de muito sol.

IT’S: Quais os critérios para quem quer fazer parte do line-up de marcas da feira? Como é sua curadoria?

Hugo: O Pátio Design busca por designers que, além de apresentarem bons produtos, formalmente bem acabados, contêm boas histórias e produzam no Brasil, com fornecedores locais ou até mesmo de forma manual e própria. Com o aumento da procura pela exposição no Pátio, em função do incentivo e baixos custos para o expositor, palco e mídia envolvida, temos procurado criar um mix de produtos maior, com cada vez mais rotatividade entre as edições, para que os visitantes sempre encontrem o que procuram e também sejam surpreendidos por coisas que nem esperavam ver.

 IT’S: Uma das premissas do seu projeto junto ao centro cultural é dar voz aos novos empreendedores. Como as feiras urbanas podem influenciar na economia em tempos de crise?

Hugo: Nós enxergamos a produção local atualmente como um mercado alternativo, mas que deve ganhar cada vez mais projeção nos próximos anos, muito em função da crise e também das novas relações de trabalho, que permitem que as pessoas possam investir cada vez mais em projetos e produtos próprios, sem vínculos efetivos com corporações maiores. Comprar do próprio criador, que oferece a venda direta, é uma solução para encontrarmos produtos melhores, mais baratos e mais competitivos.

IT’S: Percebemos, nos últimos anos, uma crescente nessas feiras alternativas, principalmente em São Paulo. Para você, a que se deve esse fator?

Hugo: Percebo que muitas pessoas que possuíam vocação para o empreendedorismo e que não haviam apostado nela, em função de vínculos rigorosos de trabalho fixo ou falta de coragem, perderam seus empregos ou começaram a ver conhecidos com iniciativas empreendedoras. Sabe aquela expressão: ‘a união faz a força’?

Uma das edições do Pátio Desing na Unibes Cultural. Foto: Vinícius Lopes

Uma das edições do Pátio Desing na Unibes Cultural. Foto: Vinícius Lopes

IT’S: O projeto Design with the Other 90% acredita que o design deve ser pensado para a grande parcela menos abastada da sociedade. Qual o papel fundamental do design na vida das pessoas?

Hugo: Acredito sempre que o Design serve para melhorar a vida das pessoas e é parte da rotina de todo mundo, da hora de acordar até a de dormir. Quando você levanta pela manhã, escova os dentes com uma escova que foi projetada por alguém, e se ela possui aquela forma, é porque foi estudada e pensada para ter um desempenho melhor na sua função. O mesmo vale para a cidade, seja no seu carro, no metrô, nos bancos que usa nas ruas, nas mesas que usa para trabalhar e comer, nos garfos e facas e também na cama que usa quando vai se deitar. Dessa forma, considero um crime falar que Design é para poucos e que é indispensável no planejamento de qualquer empresa ou produto. Um produto melhor é um produto mais bem pensado e isso engloba toda a dinâmica de concepção e compatibilização com meios de produção mais sustentáveis e conscientes.

IT’S: Na sua marca homônima, você também pensa na funcionalidade das peças para os ambientes. Quais suas referências/influências no momento da criação?

Hugo: O lançamento da nossa marca foi uma conquista muito bacana, pois passamos a ser produtores das nossas criações, mesmo que por meio de fornecedores parceiros que também acreditam em nossas ideias. A função do produto para nós é o estudo de caso principal do objeto, pois podemos encará-la de forma tradicional e clichê ou transformá-la em outros usos e possibilidades. É isso que faz do Design uma matéria tão apaixonante, a vontade de transformar coisas banais em produtos que além de serem interessantes por sua forma, revelem novos jeitos de tornar a rotina das pessoas mais interessantes. O relacionamento com os objetos é assunto sério, mas podemos encara-lo com bom humor e diversão. Tirando a carga publicitária, quem nunca se apaixonou por algo, ou ao menos encontrou afinidades com algum objeto? As referências são tudo em um bom projeto. Busco diversas soluções para um problema, seja ele um banco mais leve, ou melhor para sentar, uma casa melhor, um ambiente mais confortável… As criações não são luzes cósmicas que baixam em nossas mentes, como as pessoas ainda acham, e a imersão em pesquisas de estruturas, formas, técnicas de produção e até mesmo de artes plásticas norteiam a direção do projeto e nos fazem entender melhor o problema do briefing. Costumo ter um olhar mais atento para objetos e obras que busquem simplicidade e clareza e também valorizar projetos bem detalhados, para que sejam muito bem executados. Me encanto com os detalhes e acredito que a harmonia deles faz um bom produto.

*Veja na seção Desejo a galeria que montamos com itens dessa edição da feira!

Festa de 01 ano do Pátio Design
Sábado, 13/08, a partir de 12h
Unibes Cultural, Rua Oscar Freire, 2.500 (ao lado do Metrô Sumaré), São Paulo
Entrada gratuita

Comentários